sábado, 25 de setembro de 2010

A Lua Cheia de Alegria


Um luau, mas a lua foi encoberta pelas telhas.
Houve música, mas não havia violão.
Existiam palavras, mas não havia poesia.
A alegria do vinho distorceu os sentidos e tudo
O que poderia ser aproveitado, não foi, está perdido.
Restaram por fim as pessoas e estas tornaram a
Festa única, como uma pinta na má companhia de
Um sorriso. A metáfora é o alento da alma quando
Não podemos dizer tudo o que se quer.

6 comentários:

  1. Oi Teo! Lindo texto, sempre estou de olho em seu blog e sempre me encanto com o q vc escreve! Um abraço.

    Milena

    ResponderExcluir
  2. Nossaa Teoo!!! q lindo...adorei

    ResponderExcluir
  3. Eita TEo;ainda bem que fucei aqui e o encontrei. Nossa cada texto tem uma particularidade sua bem como uma do eu lirico. AHHH,MAS HOuve poesia sim,porém particular( se é que me entende.)
    abraços e prazer em ler-te.
    aparecerei mais vezes.

    ResponderExcluir
  4. Reconhecimentos e conhecimentos advém a todo momento...

    ResponderExcluir
  5. ahhh é uma pena mesmo quando não se aproveita tudo que se quer...
    mas,ainda bem que se tem a lua...
    bjooss adorei as lindas palavras

    ResponderExcluir